terça-feira, 22 de agosto de 2017

Arcebispo anuncia transferências de padres

Arcebispo anuncia transferências de padres

Dom Jaime com padres da Arquidiocese, em Aparecida (Foto: Pe. Francisco Fernandes)
Dom Jaime com padres da Arquidiocese, em Aparecida (Foto: Pe. Francisco Fernandes)
No encerramento do retiro dos padres da Arquidiocese de Natal, na noite desta quinta-feira, 17, em Aparecida (SP), o Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha, anunciou a transferência de alguns sacerdotes.
Padre Inácio Lopes Filho deixa a função de pároco da Paróquia de Santana, em Santana do Matos, para assumir a função de vigário paroquial na Paróquia de Santa Maria Mãe, no Conjunto Santa Catarina, em Natal.
Padre Francisco Clodoaldo Leitão de Farias sai da Paróquia de Nossa Senhora das Graças, em Afonso Bezerra, para ser pároco na Paróquia de Santana, em Santana do Matos.
Padre Antônio Marinho da Silva Neto, até então vigário paroquial da Paróquia de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz, assumirá a função de administrador da Paróquia de Nossa Senhora das Graças, em Afonso Bezerra.
Padre Lenilson Silva das Chagas sai da Paróquia da Imaculada Conceição, em Lagoa Salgada, para ser o novo pároco da Paróquia de Santa Teresinha, em Tangará.
Padre João Batista de Lima foi transferido da Paróquia de Santa Teresinha, em Tangará, para a função  de pároco da Paróquia da Imaculada Conceição, em Lagoa Salgada.

Fonte:http://arquidiocesedenatal.org.br/arcebispo-anuncia-transferencia-de-padres-3.html

Missa da paz em Barcelona em memória das vítimas do atentado


Barcelona homenageou às 10h de domingo (20/08) as vítimas dos atentados desta semana com uma missa presidida pelo Cardeal-Arcebispo Juan José Omella na Sagrada Família, o célebre templo projectado por Antonio Gaudí, símbolo da cidade.
Quase 1.800 pessoas recordaram as 14 vítimas fatais dos ataques terroristas na Rambla de Barcelona e na localidade costeira de Cambrils, 120 km ao sul.
Autoridades civis e religiosas
O rei Felipe e a rainha Letícia, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, o presidente da região Catalunha, Carles Puigdemont; as prefeitas de Barcelona, Ada Colau, e de Cambrils, Camí Mendoza, participaram da cerimónia.
A segurança no entorno da igreja foi reforçada, inclusive com a presença no interior de agentes de segurança e operadores da Cruz Vermelha e atiradores de elite no alto de edifícios.
Na sua homilia, o Cardeal Omella chamou a sociedade a ser ‘artesã da paz’ e a unir-se com o objectivo comum de ‘fraternidade, respeito e amor solidário’: “Somos um bonito mosaico. A união nos fortalece e a divisão corrói e destrói’.
Com a presença de membros de outras confissões religiosas, inclusive muçulmanos, o Cardeal pediu unidade para ‘olharmos ao futuro com esperança’.
“Nosso silêncio e nossa oração, nossa presença neste lugar sagrado são sinais de repulsa ao atentado”, afirmou.
Centenas de pessoas acompanharam a missa do lado de fora do templo.
Antes do arcebispo Omella, tomou a palavra o bispo auxiliar de Barcelona, Sebastià Taltavull, que clamou para que toda a dor vivida na Catalunha esta semana deixe lugar a “um novo estilo de convivência que respeite os direitos humanos e vele pela dignidade, superando toda diferença e exclusão”.
No fim da missa o Cardeal leu duas mensagens enviadas pelo Papa Francisco e revelou que recebeu um telefonema do Pontífice na tarde de sábado (19/08), deixando gravada na secretária telefónica a sua expressão de solidariedade e proximidade ‘neste momento doloroso’.
(BS/CM)
Fonte:http://pt.radiovaticana.va/news/2017/08/21/missa_da_paz_em_barcelona_em_mem%C3%B3ria_das_v%C3%ADtimas_do_atentado/1331836

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Papa Francisco: mensagem do Ângelus


Cidade do Vaticano (RV) – Hoje, domingo, dia 20 de Agosto de 2017, o Papa Francisco celebrou, às 12 horas de Roma, a oração mariana do Ângelus, na Praça de S. Pedro repleta de fiéis e peregrinos provenientes de diversas partes da Itália e do mundo.
O Evangelho deste domingo, disse o Papa, apresenta-nos um exemplo particular de fé no encontro de Jesus com uma mulher cananeia, uma estrangeira em relação aos judeus. O evento acontece enquanto a mulher cananeia estava a caminho em direcção à cidade de Tiro e Sidónia, em direcção portanto à parte norte ocidental da Galileia: é precisamente aqui que a mulher implora a Jesus de curar a sua filha que “está cruelmente atormentada por um demónio”.
Jesus, acrescenta o Santo Padre, num primeiro momento, parece indiferente ao grito de dor da mulher cananeia, o que levou a intervenção dos discípulos que procuram interceder em favor da mulher. No entanto, esta aparência de descarte por parte de Jesus, não desencorajou a mulher cananeia, que pelo contrário insistiu no seu pedido.
A força interior desta mulher que permite superar todos os obstáculos, deve ser procurada no seu amor materno e na fé que Jesus pode realizar o seu pedido. Podemos dizer que é o amor que movimenta a fé, e a fé por sua vez se torna o prémio do amor. O amor para com a própria filha a leva a gritar: “Senhor, Filho de David, tem compaixão de mim”. E a fé perseverante em Jesus consente a mulher de não se desencorajar perante ao inicial gesto de recusa de Jesus. Assim, a mulher prostrou-se diante de Jesus dizendo: “Socorre-me, Senhor”.
Finalmente, observou ainda Francisco, perante tanta perseverança da mulher, Jesus exprime a sua admiração e surpresa por esta grande fé manifestada por essa mulher pagã. Ele então aceita o seu pedido dizendo: “ Mulher, é grande a tua fé. Faça-se como desejas”. E então a partir daquele momento, a sua filha ficou curada.
Ora, acrescentou o Santo Padre, esta mulher humilde é-nos hoje indicada por Jesus como exemplo de fé perseverante. A sua insistência em invocar a intervenção de Cristo é para nós um estímulo a não desencorajarmo-nos, a não desesperarmo-nos quando estamos oprimidos por provas duras da vida. O Senhor nunca nos vira as costas perante as nossas necessidades, e se por vezes parece insensível ao nosso grito de ajuda , é simplesmente para nos colocar à prova e tornar mais robusta a nossa fé.
Este episódio evangélico ajuda-nos a compreender que todos  temos necessidade de crescer na fé e fortalecer a nossa fé em Jesus. Ele pode ajudar-nos a re-encontrar a vida, todas as vezes que perdemos com a bússola do nosso caminho, quando a estrada parece cheia de obstáculos, árdua: quando custa muito ser fiel aos nossos empenhos. É importante alimentar cada dia a nossa fé mediante a escuta atenta da Palavra de Deus, mediante a celebração dos Sacramentos, a oração pessoal como nosso “grito” à Jesus e através de atitudes concretos de caridade para com o nosso próximo.
Por isso, disse o Pontífice, entreguemo-nos ao Espírito Santo pedindo-Lhe para que nos ajude a perseverar na fé. O espírito infunde audácia no coração dos crentes , dá a nossa vida e ao nosso testemunho cristão a força de convicção e da persuasão; encoraja-nos a vencer a incredulidade em Deus e a indiferença para com os irmãos.
Que a virgem Maria, concluiu dizendo Francisco, nos torne cada vez mais conscientes da nossa necessidade do Senhor e do seu Espírito: infunda em nós uma fé forte , cheia de amor e de um amor capaz de se transformar numa corajosa súplica à Deus.
Após a recitação da oração mariana do Ângelus, Francisco rezou juntamente com os presentes na Praça de S. Pedro, uma Ave-Maria em homenagem às vítimas dos atentados terroristas que nestes dias causaram numerosos mortos e feridos em Burkina Faso, na Espanha e na Finlândia. Rezemos, disse o Santo Padre, por todos os defuntos, para os feridos e para os seus familiares, e suplicamos ao Senhor, Deus da misericórdia e da paz, de libertar o mundo desta desumana violência.
Finalmente Francisco saudou todos os presentes e de modo particular os membros da Associação francesa “Roulons pour l’Espoir”; os novos seminaristas e os seus superiores, do Colégio Norte Americano de Roma e o grupo dos adolescentes provenientes da cidade de Zevio em Verona(Itália). À todos Francisco augurou um bom domingo e pediu, que por favor, não esqueçam de rezar por ele.    
Fonte:http://pt.radiovaticana.va/news/2017/08/20/papa_francisco_mensagem_do_%C3%A2ngelus/1331819

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Oferta da vida: uma reflexão sobre a nova via de beatificação


Maiorem hac dilectionem” sobre a oferta da vida. Fica assim aberto caminho para a beatificação daqueles que por amor ofereceram a vida pelo próximo. Neste “Sal da Terra, Luz do Mundo” transmitimos o comentário do teólogo português José Carlos Carvalho.
Oferecer a vida é caminho de beatificação: aqueles que levados pela caridade ofereceram a própria vida pelo próximo, aceitando livre e voluntariamente uma morte certa e prematura, podem agora vir a ser considerados beatos porque afirmam com este gesto a intenção de seguir Jesus.
O Motu Próprio de Francisco, publicado em julho, introduz mais uma via para que se proceda à beatificação de um Servo de Deus: a oferta da vida. Até ao momento eram três os caminhos: o martírio (suprema imitação de Cristo com morte violenta), as virtudes heroicas (a vivência acima do comum e constante no tempo das virtudes teologais), e os casos excecionais (conhecida como equipolente).
Esta temática foi debatida pela Congregação para a Causa dos Santos desde janeiro de 2014. O Santo Padre sempre encorajou a reflexão sobre esta matéria que teve em junho de 2016 um congresso específico. O texto do Papa foi publicado no jornal do Vaticano “L’Osservatore Romano” e entrou em vigor no próprio dia da sua publicação.
Para uma reflexão sobre esta decisão do Santo Padre pedimos um comentário ao teólogo português José Carlos Carvalho que, amavelmente, concedeu, mais uma vez, uma entrevista à reportagem da Rádio Vaticano:
P – O Papa aprovou recentemente um Motu Próprio que abre caminho para a beatificação daqueles que ofereceram a vida pelo próximo. Que comentário a esta decisão do Santo Padre?
R – “Bom, só me resta alegrar-me com mais esta possibilidade porque permite abrir um processo, que segue depois os trâmites normais, recolha de testemunhos, a necessidade de atestação do milagre, mas o importante para mim consiste no facto de aceitar que pode ser apresentado como exemplo para a Igreja alguém que em nome da vida se entregou pelo outro, deu a sua vida para que o outro viva. Sabendo, como diz o Motu Próprio, que a morte está iminente. Isso é de alguma maneira estatuir aquilo que já era prática na Igreja e que outros santos chegaram ao altar também por essa via.”
Portanto, já não é obrigatório a violência sobre o martirizado, mas o simples facto de o fazer sendo cristão batizado, entregando a sua vida como Jesus entrega pelos outros, neste caso por alguém, isso é um sinal do Evangelho. E nesse sentido alegro-me com esta possibilidade porque vem reconhecer aquilo que acontece por esse mundo fora e que a graça vai operando. Que não se vê, que não aparece nos telejornais, na hipocrisia da comunicação social, mas que Deus vai continuando a agir no mundo por muitos e muitas que deram a sua vida pelos outros e que dão a sua vida pelos outros. De uma maneira livre, gratuita.
A notícia refere o caso de uma mãe em Itália que em 2012 com apenas 28 anos tendo um cancro abdicou do tratamento para se curar porque sabia que se submetesse a quimioterapia iria afetar o feto. Então abdicou de si, sabendo que isso lhe causaria a morte, mas isso também permitiu que a vida que estava em gestação viesse à luz. E hoje o filho vive, a mãe certamente está no Céu, é um sinal é um exemplo para todos e isso é Evangelho. Deus é assim: um Deus que morre para si e isso é mostrar em carne e osso quem é Deus.”
P – E oferecer a vida é um sinal evangélico. Então esta decisão é um sinal evangélico, um sinal muito forte para os tempos de hoje?
R – “Sim. Pode em muitos casos acontecer meramente por filantropia. Mas, obviamente, o Motu Próprio considera que os casos daqueles e daquelas que pela sua fé abdicam da própria vida para fazer Deus habitar o mundo. Isto é, para que a vida dos irmãos e das irmãs se torne mais engraçada: isto chama-se graça na fé. E isso é muito importante num mundo que é muitas vezes plutocrático, uma cultura que idolatra a fama, que tem uma patologia com a sexualidade nas suas várias modalidades e que, desse ponto de vista anda muito doente, que precisa não de psicólogos mas de muita psiquiatria. Uma cultura da competitividade e uma cultura do parecer até na política.”
Portanto, entregar a vida significa considerar que há uma verdade que nos transcende e que a verdade é, não é apenas o que parece. E isso é muito importante para os dias de hoje. Uma cultura que, muitas vezes, esquece o semelhante, que não acolhe o diferente, que, como o Papa diz muitas vezes, descarta o que não é igual, que põe à margem o refugiado. Que usa de muita violência encapotada e que por isso também dessa maneira diz que a vida é mais importante do que os meus egoísmos, as modas, os interesses próprios. E é uma palavra muito importante para a cultura contemporânea. E significa mostrar em carne e osso o que significa misericórdia. Algo de que o Papa fala tanto e falou tanto. E isso não se aplica apenas ao mundo e à sociedade. Como eu digo muitas vezes: o TPC (trabalho para casa) começa cá dentro. O dar a vida na família, na paróquia, na Igreja, no seminário, na ordem religiosa. Isto é muito difícil porque é o caminho de Jesus.”
“Sal da Terra, Luz do Mundo” ´é aqui na Rádio Vaticano em língua portuguesa.
(RS)
Fonte:http://pt.radiovaticana.va/news/2017/08/09/oferta_da_vida_uma_reflex%C3%A3o_sobre_a_nova_via_de_beatifica%C3%A7%C3%A3/1329715

Papa: solidariedade com Serra Leoa, 400 mortos por inundações


O Papa Francisco está a seguir com grande preocupação o que está acontecendo estes dias em Serra Leoa, País atingido por fortes chuvas que provocaram até o momento 400 mortos e 600 desaparecidos e lança um apelo à solidariedade.
Num telegrama assinado pelo Cardeal Secretário de Estado Pietro Parolin e endereçado ao Arcebispo de Freetown, Dom Charles Edward Tamba, o Pontífice manifesta sua profunda dor pelas “devastadoras consequências” das inundações na periferia da capital Freetown.
O Santo Padre “assegura a sua proximidade neste momento difícil a todos os que perderam os seus entes queridos e reza por todos os que perderam a vida, seus familiares e amigos em luto e invoca a bênção divina de força e consolação”.
O Papa Francisco, lança também um forte apelo à solidariedade, dizendo-se próximo aos socorristas que estão fornecendo as ajudas tão necessárias às vítimas do desastre natural.
Na última terça-feira, durante o Angelus da Solenidade da Assunção, o Papa havia elevado a sua oração a “Maria Rainha da paz”, confiando a ela as “ansiedades e dores das populações que no mundo sofrem por causa de calamidades naturais, obtendo para todos consolação e serenidade”. (BS/JE)
Fonte:http://pt.radiovaticana.va/news/2017/08/17/papa_solidariedade_com_serra_leoa_400_mortos_por_inunda%C3%A7%C3%B5es/1331177

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A Paróquia da Imaculada Conceição, formada pelos municípios de Nova Cruz e Lagoa D’Anta, e o Colégio Nossa Senhora do Carmo, organizam o “5º Fala Vocações”. O evento acontecerá dia 20 próximo, das 8h15 às 11h30, no Colégio Nossa Senhora do Carmo, em Nova Cruz. O objetivo é proporcionar conhecimento sobre as diversas vocações da igreja.
Na programação, consta momentos de acolhida, animação, oração, palestra com Irmã Renata Lisboa, da Congregação Franciscanas do Bom Conselho. Também ser realizada uma mesa redonda, tendo como convidados o vigário paroquial, Padre Luciano Inácio; o Diácono João Aparecido, da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, de Passa e Fica;de irmãs Filhas do Amor Divino, e do casal Rosalvo Soares e Maria deLourdes








Fonte:https://www.facebook.com/arqnatal/?hc_ref=ARSKgiz9acE2CaDAYxTPM3azadodjs3jMWU7ZZVw_8r5_Bs-i6HZBfyDv5bvZlJv1_k&fref=nf

Padres participam de retiro em Aparecida

Padres participam de retiro em Aparecida

Alguns dos quase 200 padres da Arquidiocese de Natal (Foto: Cacilda Medeiros)
Alguns dos quase 200 padres da Arquidiocese de Natal (Foto: Cacilda Medeiros)
Padres da Arquidiocese de Natal, acompanhados do Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha, estão em Aparecida (SP), no período de 14 a 18 deste mês, participando de retiro espiritual. O pregador é bispo de Garanhuns (PE), Dom Paulo Jackson. Nesta terça-feira, às 9 horas, o grupo participará da missa, no Santuário Nacional de Aparecida. A celebração será presidida por Dom Jaime e transmitida, ao vivo, pela Rede Aparecida de Comunicação.
Nesta semana, na maioria das paróquias da Arquidiocese de Natal, não haverá celebração eucarística. Apenas padres enfermos e os pertencentes a Congregações Religiosas não estão participando do retiro. Na Catedral Metropolitana, haverá missa, diariamente, nos horários de praxe: 8h, 11h e 16h30, presididas pelos Filhos de Santana.

Fonte:http://arquidiocesedenatal.org.br/padres-participam-de-retiro-em-aparecida.html