sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Triplicou o número de mártires cristãos nos últimos dois anos

CruzDeLosMartires_FlickrAaronGrooteCC-BY-NC-SA-2.0_180116Ontem, 20 de janeiro, o site ACI Digital divulgou um relatório publicado por Open Doors, uma organização internacional de ajuda aos cristãos perseguidos, assinalando que o número de cristãos assassinados por causa de sua fé a nível mundial passou de 2.100 para 7.100, ou seja, mais que o triplo, em dois anos.
Segundo o relatório, Oriente Médio, África e Ásia Central são áreas nas quais a perseguição cresce rapidamente. A perseguição alcançou um novo pico em 2015: cerca de 4.000 cristãos foram assassinados na Nigéria, 1.200 na África Central e outros 700 em Chade.
Entre as razões que aumentam a perseguição estão o autoproclamado Estado Islâmico (ISIS) e a falta de leis de proteção às minorias religiosas dos ataques provenientes de extremistas muçulmanos, hindus e budistas.
“A perseguição aos cristãos está piorando rapidamente em cada uma das regiões onde trabalham. Nós podemos e devemos trabalhar sem descanso para proteger os cristãos e a todos os que estão sendo perseguidos por causa de sua fé”, indicou Lisa Pearce, diretora executiva da Open Doors no Reino Unido e na Irlanda.
Open Doors trabalha em 60 países e a cada ano realiza uma lista dos 50 países onde os cristãos são perseguidos. Entre os dez primeiros lugares estão: Coreia do Norte, Iraque, Eritreia, Afeganistão, Síria, Paquistão, Somália, Sudão, Irã e Líbia.
Coreia do Norte é o país que há 14 anos está no topo da lista. Do total da população de 24 milhões de habitantes, apenas 300 mil são cristãos. Este grupo é considerado pelo governo como “profundamente ocidentais e desprezíveis”.
“Os cristãos tratam de esconder sua fé de todas as maneiras possíveis, a fim de evitar serem presos e enviados aos campos de trabalho. Por isso, ser cristão é um segredo bem guardado, inclusive entre as famílias. Além disso, muitos pais renunciam educar os seus filhos na fé cristã”, indica o relatório.
No Iraque, a situação também é bem dramática: centenas de milhares de cristãos fugiram de seus lares devido à violência do ISIS. Além disso, este país “sofreu anos de conflitos e instabilidade política sob um governo incapaz de defender os direitos e proporcionar o mínimo de segurança”, assinala Open Doors.
Outro país muito afetado é a Eritreia, onde, dos 6.7 milhões de habitantes, 2.5 milhões são cristãos.
Em seguida, Open Doors assinala que o governo eritreu é “absolutamente autoritário e intolerante” ante qualquer manifestação de liberdade de expressão. Controla todas as instituições religiosas e destituiu o Patriarcado Ortodoxo Eritreu. Este país também luta com o islamismo radical como o do grupo extremista Al-Shabbab.
Nesta lista também estão alguns países latino-americanos, como o México que é o 40º colocado e a Colômbia no 46º lugar.
Open Doors destacou que nestes casos a perseguição aos cristãos costuma se originar com o narcotráfico e as vítimas geralmente são os líderes eclesiásticos locais, pois os enfrentam e por isso sofrem a violência e a extorsão.

Nenhum comentário :

Postar um comentário