segunda-feira, 14 de março de 2016

Conheça a “irmã espiritual” de Santa Teresa de Lisieux que será elevada aos altares

SantaTeresaDeLisieux_BeataElisabethdelaTrinidad_DominioPublico_090316

O site ACI Digital noticiou ontem (09/03/2016) que Santa Teresinha tinha uma grande amiga cuja vida espiritual também pode ser considerada como um modelo a seguir. Seu nome é Beata Elisabeth da Trindade, uma religiosa carmelita que logo será canonizada.
Elisabeth da Trindade nasceu na França em 1880 e morreu em 1906 devido a doença de Addison, cinco anos depois de ter entrado no Carmelo de Dijon, localizado ao leste do país. Foi declarada Beata por São João Paulo II em 1984.
Ela tinha uma profunda relação pessoal com Jesus. Rezava o tempo todo e não se preocupava pela tarefa que devia fazer, porque acreditava que a oração era a melhor forma de alcançar Cristo. Costumava dizer: “Eu encontro Jesus em todas as partes, tanto quando lavo como quando rezo”.
Suas práticas espirituais a aproximaram de Santa Teresinha e ambas cultivaram uma grande amizade.
Elizabeth, “irmã espiritual” de Santa Teresinha, também escreveu diversos livros sobre a Santíssima Trindade. Em um de seus textos dizia: “Nós não seremos purificados por procurar nossas misérias, mas por contemplar ao que é toda pureza e santidade”.
O milagre que permitirá a canonização
A Congregação para as Causas dos Santos aprovou o segundo milagre que permitirá a canonização da Beata Elisabeth. Trata-se da cura milagrosa de Mary-Paul Stevens, uma belga que sofria da síndrome Sjögren.
Esta doença ataca as glândulas exócrinas que hidratam o corpo, como a salivação, o suor, as lágrimas, as secreções mucosas da laringe e da traqueia e as secreções vaginais. Também afeta às articulações e pode prejudicar qualquer órgão.
Segundo informações da Província Britânica das Irmãs Carmelitas em um comunicado, Stevens foi curada repentinamente em 2002 logo depois de fazer uma peregrinação ao Carmelo em Flaverignot-Dijon para agradecer à Beata Elisabeth pela sua ajuda durante sua doença.
Ela participou da peregrinação sabendo que não havia tratamento para seu mau e que em breve morreria. Foi curada imediatamente depois de chegar ao local.
A Arquidiocese investigou o caso, com a ajuda de 40 testemunhos, entre os quais havia vários médicos. Todos ficaram surpreendidos e muitos disseram que foram tocados pela vida e obra da Beata. Em seguida, o caso foi enviado à Congregação para as Causas dos Santos.
A data da sua canonização será divulgada no próximo dia 15 de março.

Nenhum comentário :

Postar um comentário