segunda-feira, 11 de abril de 2016

Páscoa: solidariedade de Cristo, solidariedade dos cristãos

Queridos irmãos e irmãs!
A Páscoa da Ressurreição é a solidariedade de Cristo com a nossa humanidade. Deus não abandonou Jesus nas teias da morte, mas o ressuscitou para que, vivo e presente no nosso meio, Ele continue agindo em nosso favor e nos leve a uma vida de solidariedade com os nossos irmãos e irmãs. O Tempo Pascal, iniciado com o Domingo da Ressurreição, lembra a todos os fiéis que Deus definitivamente se uniu à humanidade no sangue de seu Filho, na entrega livre e cheia de amor de Jesus Cristo, na força do Espírito Santo.
Celebrar este tempo solene, em que podemos cantar a alegria de sermos renovados pelo Cordeiro imolado, também traz para nós um compromisso de anunciar que a Páscoa é para todos. Jesus não ressuscita para ir embora e deixar-nos abandonados. A sua vida continua em nossa vida. A sua missão se prolonga na nossa missão. E qual é a missão dos que acreditam na Ressurreição de Jesus? Sobretudo, o anúncio. Não podemos prender ou sufocar essa notícia: Jesus não está morto, Ele vive. Não anunciamos a derrota da morte, mas a vitória do amor vivente. Tudo o que anunciamos, tudo o que ensinamos, tudo o que se apresenta em nossa doutrina, é para servir a esse anúncio de vida. Doutrinas, dogmas, ensinamentos, tudo é em função do anúncio para todos de que Deus, ao ressuscitar o seu Filho, declara para nós que somos também seus filhos e que Ele deseja dar a vida plena para todos. Em segundo lugar, tal anúncio não se dá apenas por palavras. Ele é, sobretudo, vida, isto é, experiência de encontro com o Ressuscitado, como aconteceu para Maria Madalena, para os dois discípulos de Emaús, para Pedro, para os Doze, para os mais de quinhentos irmãos e irmãs, para Tiago, e ainda,para Paulo, como ele mesmo diz, “como a um abortivo” (cf.1Cor 15,8). Essa experiência traz paz e alegria aos corações. Somos chamados a viver como “ressuscitados”, isto é, como homens e mulheres que confiam na ação do Espírito Santo em suas vidas. Por isso, celebrar a Páscoa é reconhecer que necessitamos ser “cristóforos”, isto é, portadores de Cristo para os outros. Ser portador de Cristo para cuidar da vida, cuidar do outro, cuidar da casa comum, partilhar e conviver com harmonia e paz. Celebrar a Páscoa é viver a solidariedade para com os irmãos e irmãs.
Páscoa é também esperança. Não podemos perdê-la. Como é necessário que nós, cristãos e cristãs demos esse grito: nada nos fará perder a esperança da ressurreição de Cristo. Essa esperança é fundamentada na presença do Espírito que o Ressuscitado dá aos seus discípulos, no dia mesmo da Ressurreição (conforme o Evangelho de São João, cf. Jo 20,22), em Pentecostes (conforme São Lucas, cf. At 2,1-4).

Arcebispo Metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha

Fonte:http://arquidiocesedenatal.org.br/mensagem/pascoa-solidariedade-de-cristo-solidariedade-dos-cristaos

Nenhum comentário :

Postar um comentário