sexta-feira, 15 de julho de 2016

A alegria do amor – A Exortação Apostólica de Papa Francisco (4)

Queridos irmãos e irmãs!
Continuando a nossa reflexão sobre a Exortação Apostólica Pós-sinodal Amorislaetitia, do Papa Francisco, vemos no segundo capítulo a afirmação: “a Palavra de Deus é uma companheira de viagem e não um conjunto de teses abstratas” (n. 22). Ela não nega a amarga realidade do sofrimento, do mal e da violência que dilaceram a vida da família. Diante do rastro de sofrimento e sangue, de violência fratricida, de litígios entre filhos e esposas, tragédias e dificuldade familiares, e as consequências negativas no âmbito das relações interpessoais e do trabalho humano, o Papa apresenta o plano de Deus para acompanhar, sustentar e integrar, na sua comunhão de vida, o homem e a mulher feridos por causa do pecado.
O papa afirma a dignidade e a alegria do trabalho, que traz desenvolvimento à sociedade, sustento, estabilidade e fecundidade da família.O clamor do Papa Francisco se volta para o mal do desemprego e a precariedade laboral, o que afeta a “serenidade das famílias” (n. 25). Além disso, a devastação da natureza é outro fruto do pecado introduzido na sociedade.
Para curar uma sociedade, marcada pelo egoísmo e pela indiferença, o Papa Francisco lembra que, nas Sagradas Escrituras, a lei do amor e do dom de si mesmo, se apresenta como distintivo dos discípulos de Cristo. E essa lei tem como frutos, a misericórdia e o perdão. E uma virtude se destaca: a ternura. Por causa da ternura Deus mesmo assume as realidades humanas, expressando com traços de amor paterno e materno, a união do fiel com o seu Senhor. É este o convite do papa: contemplar as famílias de acordo com a Palavra de Deus: “Com este olhar feito de fé e amor, de graça e compromisso, de família humana e Trindade divina, contemplamos a família que a Palavra de Deus confia nas mãos do marido, da esposa e dos filhos, para que formem uma comunhão de pessoas que seja imagem da união entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Por sua vez, a atividade geradora e educativa é um reflexo da obra criadora do Pai. A família é chamada a compartilhara oração diária, a leitura da Palavra de Deus e a comunhão eucarística, para fazer crescer o amor e tornar-se cada vez mais um templo onde habita o Espírito” (n. 29).
Por fim, o ícone da Sagrada Família e o exemplo da Virgem Maria, são apresentados como exemplos para as famílias de hoje, com suas fadigas e dificuldades. Numa interpretação cheia de significado pastoral, o papa Francisco afirma: “No tesouro do coração de Maria, estão também todos os acontecimentos de cada uma das nossas famílias, que Ela guarda solicitamente”. Seguindo o exemplo da Mãe de Jesus, Papa Francisco exorta a todos a que vivam com coragem e serenidade os desafios familiares, tristes e entusiasmantes, além de ajudar a interpretar tais desafios, reconhecendo a mensagem de Deus na história familiar.
Fonte:http://arquidiocesedenatal.org.br/mensagem/a-alegria-do-amor-a-exortacao-apostolica-de-papa-francisco-4

Nenhum comentário :

Postar um comentário