terça-feira, 19 de julho de 2016

Santa Maria Madalena - símbolo de diálogo e reconciliação


No âmbito do Ano Jubilar da Misericórdia que estamos a viver, o Papa Francisco decidiu,  no passado mês de Julho, elevar, no Calendário Geral  da Igreja Católica Romana, a Memória de Santa Maria Madalena a Festa, por forma a ela ter no calendário o mesmo nível dos outros Apóstolos. Com efeito, ela é considerada "Apóstola dos Apóstolos", pois além de ter estado muito próxima de Jesus, durante a vida, ela foi também a primeira a dar-se conta de que Cristo tinha ressuscitado dos mortos e a dar a notícia aos outros Apóstolos. O dia 22 de Julho será, assim, Festa de Santa Maria Madalena. 
No ano 2000, na sequência da guerra de 1998 na Guiné-Bissau, o Bispo de Bissau pediu a Filomeno Lopes ajudar no processo de reconciliação, mesmo com uma canção que pudesse passar na rádio e animar as pessoas neste sentido. A ideia inicial era servir-se da figura da Virgem Maria, para, em analogia ao "Bambaran" (pano materno muito usado na Guiné) recordar a todos que somos filhos da mesma mãe e há que viver como irmãos. Mas tendo em conta que durante a guerra muitas mulheres foram, por vezes, obrigadas a prostituir-se com o inimigo para salvar a vida a muitos familiares, achou que a figura de Santa Maria Madalena era mais adequada. Nasceu assim a canção "Djorçon de Madalena", para sublinhar a responsabilidade de todos na sociedade. Uma canção em que tentou evitar uma certa visão, então dominante, de Mariologia. Tentou igualmente unir o aspecto religioso às teorias e acções de Amílcar Cabral que permitiram às populações da Guiné-Bissau e Cabo Verde unir-se para combater o mal colonial e chegar à independência. 
Quanto à decisão do Papa de elevar a Memória de Santa Maria Madalena a Festa litúrgica, Filomeno considera que se trata de um gesto corajoso da parte de Francisco e que abre caminho para uma reflexão teológica mais centrada no feminino. É que ao longo dos anos houve a tendência a considerar tudo numa óptica patriarcal, esquecendo o feminino na História. 
Mas - sublinha ainda Filomeno - Misericórdia significa justiça e isto implica justiça em relação à mulher, corrigindo os males que lhe têm sido infligidos por ser mulher. 
Aprecie essa bela e rítmica canção, cantada pelo Filomeno e pela Cecília Monteiro, num crioulo genuíno da Guiné-Bissau, e os pormenores da ideia que está na base da sua composição. É na rubrica "África. Vozes Femininas" desta semana, dedicada a Santa Maria Madalena, modelo de diálogo e reconciliação para o mundo de hoje.
Fonte:http://pt.radiovaticana.va/news/2016/07/17/santa_maria_madalena_-_s%C3%ADmbolo__de_di%C3%A1logo_e_reconcilia%C3%A7%C3%A3o/1244878

Nenhum comentário :

Postar um comentário