terça-feira, 8 de agosto de 2017

Voz do Pastor › 04/08/2017

Vocação: impelidos pelo Espírito para a missão

Queridos irmãos e irmãs!
Iniciamos o mês de agosto, Mês Vocacional. Para este ano, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) propôs o tema “A exemplo de Maria, discípulos missionários” e o lema “Eis-me aqui, faça-se”. O mês vocacional “busca motivar a oração pelas vocações nas comunidades, paróquias e dioceses, além de conscientizar adolescentes e jovens ao chamado de servir a Igreja”. Assim se expressou Dom Jaime Splenger, presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados da CNBB e arcebispo de Porto Alegre (RS): A Igreja no Brasil realmente deseja neste mês de agosto de 2017 promover um grande mutirão e dentro das comemorações dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida realmente suplicar ao céu que não falte operários para a vinha. Esperamos que muitos jovens do sexo feminino, do sexo masculino possam responder como fez Maria: Eis-me aqui, faça-se segundo a tua palavra”.
No mês vocacional viveremos a alegria da vocação que é uma realidade que toca a todos na Igreja. Vocação vem do verbo latino “vocare”, chamar. Todos nós, na Igreja, somos “vocacionados”. É bem verdade, dizer homem ou mulher, é dizer ser chamado. Em primeiro lugar, somos chamados à existência. Para nós que cremos, Deus cria, isto é, chama à existência o que não era, para que partilhe com Ele da vida. Na teologia o homem é visto como o destinatário da comunicação divina, isto é, o homem existe para receber, gratuitamente, a graça amorosa de Deus. Assim, podemos afirmar que o homem é chamado, “vocacionado”, a entrar numa relação com Deus.
Quando falamos em vocação também o nosso olhar se volta para Jesus, o “vocacionado do Pai”. Ele é o modelo de chamado e de resposta. Em Jesus, Filho de Deus, encontramos realizado o sentido da vida humana. Como afirmou um grande teólogo católico: “se Deus quer dizer no mundo algo de não mais provisório, algo de definitivo e irrevogável – obviamente não com simples palavras, mas através de realidade e com atos –, então tal realidade deve ser assim unida a Deus a tal ponto de ser ele mesmo” (Karl Rahner). Em Jesus, Deus mesmo pronuncia a palavra, o chamado ao ser humano, para que ele seja o que deve ser. Sendo Jesus o modelo de vocação, podemos afirmar que todo ser humano, independentemente de qualquer condição, seja social, cultural ou até religiosa, é chamado a ser alguém que preza pelo sentido da vida. Eis a primeira realidade da vocação: o sentido da vida passa pelo reconhecimento da beleza e da inviolável dignidade da pessoa. É esse o fundamental chamado.
Mas, sabemos que Jesus não falou para o ser humano de forma abstrata, quase como que algo disforme ou sem corpo. A vida de Jesus é, em si mesmo, a unidade entre espírito e matéria, alma e corpo, teoria e prática, visão de mundo e de humanidade na mais concreta realidade. Por isso, quando falamos de vocação temos que falar, também, das vocações na Igreja. A própria vida cristã, enquanto se entende seguimento e imitação de Cristo, se apresenta como vocação fundamental. A primeira vocação específica diz respeito à dimensão missionária. O Papa Francisco expôs esse pensamento na sua mensagem para o Dia Mundial de Oração pelas Vocações, celebrado em 7 de maio deste ano: “Por isso, o compromisso missionário não é algo que vem acrescentar-se à vida cristã como se fosse um ornamento, mas, pelo contrário, situa-se no âmago da própria fé: a relação com o Senhor implica ser enviados ao mundo como profetas da sua palavra e testemunhas do seu amor”. E, citando a Exortação Apostólica Evangelii gaudium, argumenta: “Quem se deixou atrair pela voz de Deus e começou a seguir Jesus, rapidamente descobre dentro de si mesmo o desejo irreprimível de levar a Boa Nova aos irmãos, através da evangelização e do serviço na caridade. Todos os cristãos são constituídos missionários do Evangelho”. Da vocação missionária se alimentam todas as vocações específicas: para o laicato, para a vida matrimonial, para o presbiterado, para o diaconado, para vida religiosa e consagrada. Todos são chamados a viver a vocação na realização do plano de Deus, que é sempre destinação para a plenitude da vida. Que este mês traga a todos os vocacionados a ação de graças por participarem da vida de Deus, vida doada ao serviço dos outros.

Fonte:http://arquidiocesedenatal.org.br/mensagem/vocacao-impelidos-pelo-espirito-para-a-missao

Nenhum comentário :

Postar um comentário